Encontre Universidades, Escolas Superiores e Escolas de Gestão em todo o Mundo aqui!

Informação detalhada sobre diferentes locais de estudo

Clique nas ligações abaixo para ler sobre como estudar em vários países. Iremos fornecer-lhe informação geral sobre os países, e dar-lhe uma perspetiva geral sobre os sistemas locais de ensino superior, propinas, a organização do ano académico, possibilidades de estudo para estudantes internacionais e muito mais. Também irá encontrar conselhos úteis e informação prática sobre seguros de saúde, vistos de estudante e custo de vida.

Oportunidades de Ensino Superior em Todo o Mundo

Os estudos de pós-graduação, quer sejam mestrados, MBAs ou cursos de curta duração, são cada vez mais comuns na nossa economia moderna, caracterizada pela especialização e globalização. De facto, o crescimento dos cursos de pós-graduação, diplomas e certificados em alguns países é agora mais elevado que o verificado nas licenciaturas. Os mestrados, doutoramentos e outro tipo de cursos estão disponíveis em praticamente qualquer área disciplinar académica imaginável, e com milhares de universidades em todo o mundo à escolha, toda a gente que pretenda fazer uma pós-graduação pode encontrar uma escola e programa perfeitos para as suas necessidades.

Há muitos tipos distintos de universidades e instituições de ensino superior em todo o mundo. Embora os detalhes variem de país para país, a maioria cabe dentro de algumas categorias, tais como:

  • Universidades de caráter geral que se focam na investigação e no ensino e oferecem uma vasta gama de disciplinas académicas;
  • Escolas de negócios que se focam nos MBAs e outras pós-graduações relacionadas com a área de gestão;
  • Instituições técnicas que se especializaram em disciplinas académicas relacionadas com a ciência, tecnologia, engenharia e matemática;
  • Instituições artísticas que se concentram em disciplinas relacionadas com as artes como a escultura, pintura, teatro e dança;
  • Instituições educacionais que se especializam em cursos para profissionais da área do ensino que trabalham no nível primário e secundário.

Os estudantes que se inscrevem num mestrado de uma universidade voltada para a investigação têm geralmente que frequentar aulas e além disso, conduzir um projeto de investigação ou escrever uma tese. Os mestrados ministrados por outras instituições podem também exigir um projeto final, mas geralmente centram-se mais nas aulas ou em experiências práticas. Praticamente todos os cursos de doutoramento exigem investigação original e uma dissertação.

Os estudantes potenciais podem também considerar estudar no estrangeiro, particularmente se estão interessados em disciplinas académicas altamente especializadas tais como Comércio Internacional ou Estudos do Médio Oriente. Os estudantes estão cada vez mais a estudar além fronteiras em todos os níveis de ensino superior (em politécnicos ou em universidades). Segundo o Instituto de Estatística (UIS) da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), o número de estudantes que estudam no estrangeiro aproxima-se dos 4 milhões por ano, sensivelmente o dobro dos 2 milhões que estudavam no estrangeiro em 2000. Os estudantes da Ásia Oriental e do Pacífico constituem 28 por cento deste total, enquanto os estudantes da América do Norte e da Europa são cerca de 15 por cento. Os estudantes que enviam mais estudantes para fora são a China, Índia, e República da Coreia. Cerca de 6 por centro dos estudantes da Ásia Central e cerca de 5 por cento dos estudantes da África sub-Sariana estudam no estrangeiro, fazendo dos estudantes dessas regiões os de maior mobilidade no mundo. Os destinos de topo para os estudantes internacionais são atualmente os Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, França, Alemanha e Japão.

Muitos estudantes também estão matriculados em cursos de pós-graduação online ou à distância, ministrados em países que não são os da sua residência. Estes estudantes não estão incluídos nos números do UIS, por isso o número total de estudantes internacionais no mundo deve ser mais alto do que os 4 milhões calculados.

Os estudantes podem ponderar estudar no estrangeiro por uma série de razões, tais como:

  • A possibilidade de escolher um dos melhores cursos em todo o mundo numa dada área académica. Além disso, algumas disciplinas académicas só estão disponíveis em alguns países, ou os melhores cursos só existem em algumas regiões. Por exemplo, alguém interessado em Estudos Budistas irá encontrar os melhores cursos na Tailândia.
  • Estudar numa cultura diferente. Os estudantes que estudam em mestrados, doutoramentos ou outro tipo de graus na área dos estudos regionais, devem ponderar fazer um curso ministrado nessa região para obterem uma imersão cultural completa. Além disso, os estudantes que planeiam uma carreira em comércio internacional irão ganhar experiência incalculável ao viverem noutra cultura.
  • Melhores competências linguísticas se o curso é ministrado numa língua diferente daquela que é a língua nativa do estudante. Além do mais, embora muitos mestrados e doutoramentos internacionais sejam agora ministrados em Inglês até em países que não têm o Inglês como língua nativa, os estudantes podem ter a oportunidade de aumentar as suas competências linguísticas através de aulas acrescidas ou assimilação com a população local.

Os estudantes que ponderam fazer uma pós-graduação podem ter em consideração os seguintes aspetos quando decidirem se vão estudar numa universidade no seu país natal ou no estrangeiro:

  • O custo do programa, incluindo despesas de manutenção. Alguns países oferecem propinas muito acessíveis ou até inexistentes, mas o alto custo de vida pode não compensar essa poupança. Contudo, muitos países e universidades individualmente oferecem bolsas e outro tipo de ajuda financeira, e alguma desta ajuda está direcionada para estudantes internacionais. Os países também variam bastante em relação ao número de horas de trabalho permitido aos estudantes, e alguns países não permitem que os estudantes trabalhem de todo. Os custo de seguro de saúde também variam muito de país para país.
  • A qualidade da educação recebida, relativamente aos custos e outros fatores intangíveis de estudar no estrangeiro, tais como imersão cultural e competências linguísticas. Embora todos os mestrados acreditados tenham padrões de qualidade elevados, os métodos de ensino variam bastante entre escolas, cursos e culturas. Além disso, alguns estudantes podem descobrir que aprendem menos quando estudam numa língua não nativa.
  • Competências linguísticas exigidas. Os estudantes que não dominam a língua de instrução de um curso em particular podem precisar de mais um ano para ganharem essa competência. Por vezes os estudantes podem ganhar este domínio através de estudos no seu país de origem, mas noutros casos podem precisar de passar mais tempo no estrangeiro.
  • Tipo de estudos oferecidos, tais como a tempo parcial ou tempo inteiro, online e ensino à distância. A maioria dos países exige aos estudantes internacionais residentes no país com base num visto de estudo que sejam estudantes a tempo inteiro. Contudo, os estudantes que já vivem noutro país com um visto de trabalho podem prosseguir os seus estudos a tempo parcial. Além disso, os cursos online e de ensino à distância oferecem grande flexibilidade.
  • O impacto nos membros da família, para estudantes com famílias. Os membros da família podem necessitar de adquirir competência linguísticas e alguns países não permitem que o cônjuge trabalhe, mesmo que o estudante o possa fazer.

Passe agora algum tempo a explorar universidades em todo o mundo. Se já sabe o que procura, pode clicar diretamente no país que deseja ou em cursos específicos. Ou passe algum tempo a ver cursos e a ler mais sobre os excitantes currículos disponíveis em todo o mundo.